Após acusações sobre o uso de substâncias ilegais, a NFL determinou que Peyton Manning não usou o HGH (Human Growth Hormone), que é um hormônio de crescimento usado por muitos atletas para se beneficiar nos esportes, nem nenhuma outra droga (PED – Performance-Enhancing Drug, também utilizadas para aumento de desempenho) proibida pela liga.

NFL anunciou nessa segunda-feira, 25/07/2016, que não encontrou “nenhuma evidência clara” de que o quarterback, e atual campeão do Super Bowl, teria usado algum tipo de droga de desempenho, conforme acusou a Al-Jazeera America.

Top 10 da carreira de Peyton Manning.

Segundo uma reportagem especial sobre PED, Ashley Manning, esposa de Peyton que é farmacêutica, teria recebido o HGH para uso do jogador em 2011. Na época, Manning se recuperava de uma lesão no pescoço, que levou o jogador a trocar o Indianapolis Colts pelo Denver Broncos.

NFL entrevistou Manning e sua esposa, além de acessar o histórico médico referentes à época da lesão, e não encontrou nenhuma evidência de que o ex-jogador teria usado alguma substância ilícita durante sua recuperação.

Embed from Getty Images
Peyton Manning, ex-jogador do Indianapolis Colts e Denver Broncos.

A NFLPA, a associação de jogadores profissionais da NFL, também liberou uma declaração sobre Manning nessa segunda:

“Como um antigo jogador, Peyton Manning é livre para fazer o que ele acredita ser o melhor para seu interesse. A Organização acredita que o jogador entende os direitos e deveres dos jogadores, que estão sobre o Collective Bargaining Agreement, e que nunca faria alguma coisa contra as determinações do acordo”.

Anúncios